Procissão de Ramos: conheça os cantos propostos pelo Missal Romano para cantar bem esta celebração da entrada de Jesus em Jerusalém

procissão de ramos: entrada do Senhor em Jerusalém

A procissão de ramos faz parte das comemorações do Domingo de Ramos da Paixão do Senhor. É a celebração da entrada de Jesus em Jerusalém.

Mais Luciana, o que celebramos no Domingo de Ramos?​

As celebrações do domingo de ramos (procissão e Santa Missa) envolvem alegria e entusiasmo com a entrada de Jesus em Jerusalém e, ao mesmo tempo, nos torna presente, na Santa Missa com o relato da Paixão, todo o sofrimento do Senhor em favor de nossa Redenção, mas que chega à Ressurreição.

Contudo, podemos dizer que a Igreja recorda na procissão de ramos a entrada solene de Jesus em Jerusalém para a realização do Mistério Pascal, que pode ser traduzido na Sua Paixão, Morte e Ressurreição.

Diante disso, a sua preparação é essencial para esse momento. É preciso entender direitinho todo o significado dessa procissão para que você cante com responsabilidade e fidelidade à liturgia do dia.

E como sempre, vou te dizer tudo o que você precisa saber para definir sem erros o seu repertório. Vou te mostrar um passo-a-passo que vai deixar tudo mais fácil pra entender.

Outra coisa que queria te dizer é que existem no total 3 formas de se comemorar a entrada de Jesus em Jerusalém. A procissão de ramos é uma delas.

Mas nós vamos ver as outras formas também. Assim, você fica a par de tudo, ok?

E não se esqueça que aqui falaremos apenas das formas de se comemorar a entrada de Jesus em Jerusalém, sendo uma delas a procissão de ramos. Para saber sobre a Santa Missa desse dia e escolher suas músicas, acesse o nosso artigo sobre a Santa Missa do Domingo de Ramos.

Bem, então vamos ver todos os detalhes da procissão de ramos e também das outras maneiras de se comemorar a entrada de Jesus em Jerusalém e que são propostas pelo Missal Romano.

Você verá neste artigo sobre os seguintes tópicos:

Gostou do que vem por aí? Então já compartilhe com seus amigos para que mais Ministros da Música possam aprender, de forma fácil, a escolher os cantos para a procissão do Domingo de Ramos.

Informou seus amigos? Então, é hora de falarmos sobre como foi a entrada de Jesus em Jerusalém contada pelos Evangelistas para que você tenha uma visão geral desse momento.

#1 A ENTRADA TRIUNFAL DE JESUS CRISTO EM JERUSALÉM

procissão de ramos: hosana ao filho de Davi

Cristo, ao entrar em Jerusalém, é recebido como Rei pelos peregrinos que vinham de outras cidades para Jerusalém por conta da comemoração da Páscoa que se aproximava.

E aquele povo simples que tinha visto Jesus curar cegos e aleijados, alimentar as multidões, a fazer tantos outros milagres e que a poucos dias viram o Senhor ressuscitar Lázaro, de Betânia, estavam maravilhados e esperançosos ao ver Jesus.

Eles festejavam e realmente acreditavam que o Senhor era o seu libertador, o Messias anunciado pelos profetas e prometido pelo Pai do Céu para tirar o seu povo da escravidão.

Mas aquele povo que exaltava Jesus esperava que Ele os libertasse daquela opressão política e econômica imposta cruelmente pelos romanos aos filhos de Israel.​

Eles estavam certos de que Cristo iria tirá-los das mãos do imperador e iria proporcionar a eles uma vida como nos tempos de Salomão.​ E por isso O aclamavam.

Mas os habitantes de Jerusalém não O reconheceram ...

procissão de ramos: a cidade se agitou quando Jesus entrou em Jerusalém

Jesus, ao entrar em Jerusalém, não teve de seus habitantes a mesma recepção que teve dos peregrinos fora da cidade. Eles simplesmente não reconheceram Cristo como seu Rei.

E é esse povo, os moradores de Jerusalém, liderados pelas autoridades do Templo, que mais tarde vai pedir a morte do Senhor.

O verdadeiro motivo da vinda do Senhor ...

procissão de ramos: Jesus veio lutar contra o pecado

Jesus sabia que o que Ele veio oferecer aos filhos de Israel não era o que todo aquele povo esperava d'Ele. O Senhor sabia que eles O trairiam sem a menor piedade.

Mas era preciso mostrar aos homens que o libertador político​ que viam em Jesus não existia. Era preciso mostrar que o Messias estava ali para dar a eles muito mais do que queriam e esperavam conseguir.

E vem Jesus sem exército e sem a suntuosidade ​e imponência dos ricos e dos imperadores da época. Vem montado num jumentinho, um símbolo da humildade.

Aquela entrada, embora festiva e digna de Rei, tinha um caráter simples e humilde, mostrando à multidão que Cristo não procurava as glórias desse mundo.

Segundo o padre José Luís Queimado, diretor do Portal A12 (referência [6]), Jesus ​não vem numa mula, que era o animal predileto da realeza de Israel, nem em um cavalo que era sinal de guerra (quando os reis vinham a cavalo isso significava que eles estavam declarando guerra aos seus adversários). Mas Cristo vem num jumento, animal usado pelas pessoas simples. "Ele é um rei que vem em paz e traz a paz!"

O Domingo de Ramos ensina-nos que a luta de Cristo e da Igreja, e consequentemente a nossa também, é a luta contra o pecado, a desobediência à Lei sagrada de Deus que hoje é calcada aos pés até mesmo por muitos cristãos que preferem viver um cristianismo “light”, adaptado aos seus gostos e interesses e segundo as suas conveniências. Impera como disse Bento XVI, a ditadura do relativismo.

Professor Felipe Aquino 
Referência [11]

#2 COMO PODE SER CELEBRADA A ENTRADA DE JESUS EM JERUSALÉM?

procissão de ramos: Jesus vem num jumento

A celebração da entrada triunfal de Cristo em Jerusalém deve ocorrer em todas as missas celebradas neste dia.

E existem 3 maneiras para esta comemoração segundo o Missal Romano (referência [4], página 220, n. 1):​

  • Na Missa principal, pela procissão ou pela entrada solene
  • Em todas as outras Missas pela entrada simples

O Missal Romano, na mesma referência citada acima, dá a possibilidade de se repetir a entrada solene em uma ou outra missa que não seja a principal, porém, somente se tiver um grande número de fiéis presentes. Mas a procissão não pode ser repetida de forma alguma.

Então, para resumir, temos no Domingo de Ramos 3 formas para comemorar a entrada do Senhor em Jerusalém:

  • PRIMEIRA FORMA: procissão
  • SEGUNDA FORMA: entrada solene
  • TERCEIRA FORMA: entrada simples

Vamos ver cada uma delas? Começaremos pela procissão de ramos.

#3 COMEMORAÇÃO DA ENTRADA DO SENHOR EM JERUSALÉM - PRIMEIRA FORMA: PROCISSÃO DE RAMOS

procissão de ramos: os filhos de Jesus O seguem

Antes do início da procissão de ramos, a assembléia, com ramos nas mãos, se reúne em uma Igreja menor ou em outro lugar apropriado, desde que não seja a Igreja para onde se dirige a procissão e onde também ocorrerá a Santa Missa.

Toda procissão é uma forma de oração pública a Deus, de manifestação de fé da Igreja. E esta manifestação de fé neste Domingo de Ramos é realizada para a comemoração da entrada de Jesus em Jerusalém.

No momento em que aconteceu, as pessoas, além de agitarem seus ramos, também estendiam seus mantos no chão para que Jesus pudesse passar sobre eles.

Cristo foi recebido como um grande Rei. Um Rei que vem até nós!

E Ele vem nos libertar​ do pecado e nos mostrar que podemos ter esperança!

O Senhor veio nos anunciar a Misericórdia de Deus. E esse Deus cheio de amor vem ao nosso encontro para revelar que não estamos sozinhos nesta terra.

É Jesus quem nos dá a vida e ao mesmo tempo nos leva pela mão percorrendo o caminho que​ ele próprio traçou e nos ensinou, de forma que não nos percamos d'Ele.

Com isso, a procissão do Domingo de Ramos mostra que cada cristão, peregrino sobre a terra,​ realiza o caminho que o leva à vida eterna com Deus, pois também não fomos feitos para este mundo. Somos do Céu, somos de Deus!

Não pertencemos a esse mundo terreno onde tudo passa rápido, onde nada nos satisfaz, pois só o amor de Deus nos contenta.​

Canto inicial

procissão de ramos: canto inicial

Depois que todos já estão com seus ramos, inicia-se a celebração.

Você começa a cantar quando o sacerdote e os ministros começam a se aproximarem do lugar onde o povo está reunido.

É pedido pelo Missal Romano que se cante a antífona abaixo ou outro canto apropriado.

  • ANTÍFONA
  • OUTRO CANTO APROPRIADO
  • COMO CANTAR

Antífona de entrada do sacerdote e ministros

(Missal Romano. Referência [4], página 220, n. 4)

Saudemos com hosanas o Filho de Davi!

Bendito o que nos vem em nome do Senhor!

Jesus, rei de Israel, hosana nas alturas!

Depois do canto, o sacerdote saúda o povo e faz uma exortação onde os fiéis "são convidados a participar ativa e conscientemente da celebração deste dia" (Missal Romano. Referência [4], página 220, n. 5).

Segue-se então a oração, a benção dos ramos e a proclamação do Evangelho da entrada de Jesus em Jerusalém.

Proclamação do Evangelho

procissão de ramos: proclamação do evangelho

Lembrando que o Evangelho varia conforme o Ano Litúrgico. Veja a seguir o que considerar em cada Ano segundo o Missal Romano (referência [4], página 221, n. 7).

  • EVANGELHO -- ANO A
  • EVANGELHO -- ano b
  • EVANGELHO -- ano C

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 21,1-11

Naquele tempo: 1 Jesus e seus discípulos aproximaram-se de Jerusalém e chegaram a Betfagé, no monte das Oliveiras. Então Jesus enviou dois discípulos, 2 dizendo-lhes: 'Ide até o povoado que está ali na frente, e logo encontrareis uma jumenta amarrada, e com ela um jumentinho. Desamarrai-a e trazei-os a mim! 3 Se alguém vos disser alguma coisa, direis: 'O Senhor precisa deles, mas logo os devolverá'.' 4 Isso aconteceu para se cumprir o que foi dito pelo profeta: 5 'Dizei à filha de Sião: Eis que o teu rei vem a ti, manso e montado num jumento, num jumentinho, num potro de jumenta.' 6 Então os discípulos foram e fizeram como Jesus lhes havia mandado. 7 Trouxeram a jumenta e o jumentinho e puseram sobre eles suas vestes, e Jesus montou. 8 A numerosa multidão estendeu suas vestes pelo caminho, enquanto outros cortavam ramos das árvores, e os espalhavam pelo caminho. 9 As multidões que iam na frente de Jesus e os que o seguiam, gritavam: 'Hosana ao Filho de Davi! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana no mais alto dos céus!' 10 Quando Jesus entrou em Jerusalém a cidade inteira se agitou, e diziam: 'Quem é este homem?' 11 E as multidões respondiam: 'Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galiléia.'

Palavra da Salvação.

Depois da proclamação do Evangelho, pode haver uma breve homilia e a procissão se inicia em direção à Igreja onde se celebrará a Santa Missa.

A Procissão

procissão de ramos: o povo nas ruas

Neste momento, com os ramos nas mãos, nós acompanhamos, cantamos, aclamamos o Senhor com muita alegria e entusiasmo.

E para este percurso, existem cantos descritos no Missal, mas que podem ser substituídos por outros cantos apropriados.

Segue os cantos propostos pelo Missal Romano.

  • 1. OPÇÃO DE CANTO
  • 2. OPÇÃO DE CANTO
  • 3. OPÇÃO DE CANTO

Terceira opção para o canto da procissão

(Missal Romano. Referência [4], página 227, n. 9)​​

Hino a Cristo Rei

Coro:

Glória, louvor, honra a ti, ó Cristo Rei, redentor.

Sobe a ti piedoso hosana, dos pequenos o clamor!

Todos:

Glória, louvor, honra a ti, ó Cristo Rei, redentor.

Sobe a ti piedoso hosana, dos pequenos o clamor!

Coro:

De Israel rei esperado: de Davi ilustre filho;

o Senhor é que te envia, ouve pois nosso estribilho.

Todos:

Glória, louvor, honra a ti, ó Cristo Rei, redentor.

Sobe a ti piedoso hosana, dos pequenos o clamor!

Coro:

Todos juntos te celebra, quer na terra ou nas alturas;

cantam todos teus louvores, anjos, homens, criaturas.

Todos:

Glória, louvor, honra a ti, ó Cristo Rei, redentor.

Sobe a ti piedoso hosana, dos pequenos o clamor!

Coro:

Veio a ti o povo hebreu, com seus ramos, suas palmas;

também hoje te trazemos nossos hinos, nossas almas.

Todos:

Glória, louvor, honra a ti, ó Cristo Rei, redentor.

Sobe a ti piedoso hosana, dos pequenos o clamor!

Coro:

Festejam a tua entrada, que ao Calvário conduzia;

mas agora que tu reinas maior é nossa alegria.

Todos:

Glória, louvor, honra a ti, ó Cristo Rei, redentor.

Sobe a ti piedoso hosana, dos pequenos o clamor!

Coro:

Agradaram-te os seus hinos, nossos hinos igualmente;

o que é bom tu sempre acolhes, Rei bondoso, Rei clemente.

Todos:

Glória, louvor, honra a ti, ó Cristo Rei, redentor.

Sobe a ti piedoso hosana, dos pequenos o clamor!

Canto para a entrada na Igreja

procissão de ramos: canto para entrada na Igreja

Ao chegar na Igreja, é cantado o responsório abaixo ou outro canto apropriado que se refira à entrada do Senhor em Jerusalém.

  • RESPONSÓRIO A SER CANTADO AO ENTRAR NA IGREJA

(Missal Romano. Referência [4], página 228, n. 10)

Ouvindo o povo que Jesus entrava,

logo o foi encontrar;

com ramos de palmeira, ao que chegava

puseram-se a saudar.

Os filhos dos hebreus Jesus saudavvam

com suas vozes puras.

A vida ressurgida anunciavam:

Hosana nas alturas!

Quando o sacerdote chega ao altar, ele o saúda e o incensa, se for o caso.

Depois disso, omite-se os Ritos Iniciais e o sacerdote reza a oração do dia. A partir daí segue-se a Santa Missa como de costume.

#4 COMEMORAÇÃO DA ENTRADA DO SENHOR EM JERUSALÉM - SEGUNDA FORMA: ENTRADA SOLENE

procissão de ramos: bendito o que vem em nome do Senhor

A entrada solene é realizada dentro da Igreja antes da missa principal quando não é possível fazer a procissão fora da Igreja.

​Neste caso, inicia-se da seguinte forma:

Os fiéis reúnem-se à porta da Igreja ou no seu interior, trazendo ramos nas mãos. O Sacerdote, os ajudantes e uma delegação de fiéis dirigem-se para um ponto da Igreja, fora do presbitério, de onde o rito possa ser visto pela maioria dos fiéis.

Missal Romano 
Referência [4], página 229, n. 13

Enquanto o sacerdote e os demais se dirigem para o local falado acima, é cantada a antífona que consta no Missal Romano (referência [4], página 220, n. 4). É a mesma que é cantada no início da procissão de ramos. Corresponde ao Título #3, subtítulo Canto Inicial.

Depois disso, o sacerdote abençoa os ramos e proclama o Evangelho da entrada de Jesus em Jerusalém que correspondem aos mesmos Evangelhos colocados anteriormente para os Anos Litúrgicos A, B e C.

Logo depois​, o sacerdote, os ministros e a delegação de fiéis se dirigem processionalmente pela Igreja até chegarem ao presbitério.

E é durante esse período de​ pequena procissão dentro da Igreja que se canta o mesmo responsório cantado no final da procissão quando todos vão entrar na Igreja. Corresponde ao Título #3, subtítulo Canto para entrada na Igreja.​

Depois da saudação do altar, como na primeira forma, passa-se diretamente à oração do dia. A partir daí segue-se a Santa Missa como de costume.

#5 COMEMORAÇÃO DA ENTRADA DO SENHOR EM JERUSALÉM - TERCEIRA FORMA: ENTRADA SIMPLES

procissão de ramos: bendito és tu que vens com tanto amor

Esta forma de celebrar a entrada de Jesus em Jerusalém somente é utilizada nas outras Missas em que não se faz a entrada solene.

Aqui o Ministério de Música canta enquanto o sacerdote​ se dirige ao altar. O Missal diz que é para cantar a antífona de entrada + salmo 23, 9-10 ou outro canto com o mesmo tema.

Segue a antífona com o salmo 23:

  • CANTO: ANTÍFONA + SALMO 23, 9-10

(Missal Romano. Referência [4], página 229, n. 18)

Antífona de entrada

Seis dias antes da solene Páscoa,

quando o Senhor veio a Jerusalém,

correram até ele os pequeninos.

Trazendo em suas mãos ramos e palmas,

em alta voz cantavam em sua honra:

Bendito és tu que vens com tanto amor!

Hosana nas alturas!

Salmo 23, 9-10

"Ó portas, levantai vossos frontões!"

Elevai-vos bem mais alto, antigas portas,

para que assim o Rei da glória possa entrar!

Dizei-nos: "Quem é este Rei da glória?"

"O Rei da glória é o Senhor onipotente,

o Rei da glória é o Senhor Deus do universo!"

Bendito és tu, que vens com tanto amor!

Hosana nas alturas!

Bem, daí em diante segue-se com a Santa Missa normalmente.

#6 HOMILIAS SOBRE A PROCISSÃO DE RAMOS

  • PAPA FRANCISCO
  • PADRE PAULO RICARDO

Referência [7].

#7 OS RAMOS: SINAL DO RECONHECIMENTO DE CRISTO COMO NOSSO REI E DO NOSSO COMPROMISSO COM ELE

procissão de ramos: o que significam os ramos

Os ramos, que foram benzidos pelo sacerdote antes da proclamação do Evangelho, são sinal de fé, de piedade.

Nos recorda que Jesus é nosso Rei, nosso Senhor. É aquele que nos libertou da escravidão do pecado. É aquele que é sempre bem-vindo em nosso lar.

Segundo o padre Jesus Flores, missionário redentorista (referência [5]), o ramo "é um sacramental que mantém junto às pessoas e que recordam mistérios celebrados na Semana Santa".

Eles "significam que reconhecemos Jesus como o Messias de Israel, prometido por Deus. Significam, também, que nos dispomos a segui-Lo como o Servo que dá a vida na cruz" (Cardeal Orani João Tempesta. Referência [1]).

A lembrança do nosso compromisso com Jesus

Papa Bento XVIReferência [8]

Em vez de mantos ou ramos sem vida, em vez de arbustos que alegram o olhar por pouco tempo mas depressa perde o seu vigor, prostremo-nos nós mesmos aos pés de Cristo. Revestidos da Sua graça, ou melhor, revestidos dele mesmo, sejamos como mantos estendidos aos seus pés para oferecermos ao vencedor da morte não já ramos de palmeira mas os troféus da Sua vitória. Agitando os ramos espirituais da alma, aclamemo-Lo todos os dias juntamente com as crianças dizendo estas santas palavras: "bendito o que vem em nome do senhor o Rei de Israel". Amém (Santo André, bispo de Creta).

Ao contrário das Igrejas, que guardam os ramos para serem queimados e transformados em cinzas que são usadas na quarta-feira de cinzas, nós levarmos o nosso raminho para casa depois da celebração da procissão de ramos e da Santa Missa.

Devemos então guardá-lo em um local visível durante todo o ano.

E sempre que olharmos para ele lembraremos do nosso compromisso com Cristo. O "compromisso de seguir o Cristo num caminho de humildade e despojamento; segui-Lo ainda quando não compreendermos bem os desígnios de Deus para nós… Seguir o Cristo, que confia no Pai até a morte e não se cansa de fazer da vida um serviço de amor." (Cardeal Orani João Tempesta. Referência [1]).

Professor Felipe AquinoReferência [11]

Os ramos sagrados [...] lembram-nos de que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, a luta árdua contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição.

Muitas pessoas acreditam que seus ramos abençoados podem ser usados para fins curativos, para afastar espíritos maus, para afastar ladrões. Colocam até atrás das portas. Mas isso é superstição e, portanto, totalmente contrário aos ensinamentos católicos. Não faça isso, está bem?

#8 O QUE APRENDEMOS COM A PROCISSÃO DE RAMOS?

procissão de ramos: o Messias veio para servir

A liturgia de hoje nos mostra inicialmente um contraste entre dois povos.

O primeiro, representado aqui pelos peregrinos que, depois de verem tantos milagres, acreditavam em Jesus como sendo o Messias, aquele anunciado pelos profetas, e O aclamaram com fervor.

E um segundo grupo, representado pelo povo de Jerusalém que nem sequer O conhecia, que não o reconhecia como o seu Salvador.

Aquele povo que aclamava Cristo como rei de Israel "certamente tinha a sua ideia própria do Messias", diz Papa Bento XVI (referência [8]).

E por isso a maioria ficou "desapontada com o modo escolhido por Jesus para se apresentar como o Messias e Rei de Israel" (Papa Bento XVI. Referência [8]). O Senhor simplesmente não correspondia às suas expectativas, não era o Salvador que eles esperavam.

E com isso provavelmente muitos fraquejaram e se juntaram aos habitantes de Jerusalém pedindo a sua morte ...

Jesus, então, ao entrar em Jerusalém num jumento passou por um momento onde "[...] os ecos dos gritos de "hosana" já se misturavam ao clamor de insultos, ameaças e blasfêmias que o levariam a sua Paixão redentora" (João Guimarães. Referência [3]).

Aquele povo se revoltou porque não conhecia Jesus.

E você? Conhece Jesus? Sabe que tipo de Messias Ele é?

O que você espera do seu Salvador?​

Quem é Jesus de Nazaré para você?

Papa Bento XVIReferência [8]

[...] Para nós, quem é Jesus de Nazaré? Que ideia temos do Messias? Que ideia temos de Deus? Esta é uma questão crucial que não podemos evitar, até porque precisamente nesta semana somos chamados a seguir o nosso Rei que escolhe a Cruz como trono. Somos chamados a seguir o Messias que não nos garante uma felicidade terrena fácil, mas a felicidade do Céu, a Bem-Aventurança de Deus. Por isso, devemos perguntarmos: quais são as nossas reais expectativas?

Você, bem como aquele povo peregrino, também espera que o Senhor te dê uma vida melhor, sem sofrimentos, sem cruz?

Você também acredita, como aquele povo, que​ Jesus veio e permanece no meio de nós para atender aos seus desejos terrenos?

Este mundanismo, que é contrário ao que Cristo nos ensina, só nos oferece o caminho da vaidade, do orgulho, do sucesso, pelo qual não podemos seguir e que muitas vezes não tem volta​.

Cristo é Deus! E o próprio Deus se faz conhecer tendo um jumentinho por trono. "Nós, que não somos nada, mostramo-nos muitas vezes vaidosos e soberbos: procuramos sobressair, chamar a atenção" (D. Javier Echevarría. Referência [2]).

Não estamos seguindo Jesus assim ... Não foi esse o caminho que Ele percorreu e que nos chama a segui-Lo hoje junto d'Ele.

O caminho do Senhor ... a humildade

Padre José Luís QueimadoReferência [6]

Apesar de ser aclamado triunfalmente pela multidão em festa, na Sua humildade e mansidão, Ele escolhe os sinais da pobreza para revelar o verdadeiro Rosto de Deus. É que, ao contrário do triunfalismo, domínio e prestígio dos reis da terra, o Messias vem para servir e dar a vida pelo Seu Povo.

A profecia do Antigo Testamento anunciava que nosso Rei Messias chegaria em um jumento, que, como já foi mencionado anteriormente, é um símbolo da humildade.

Esta procissão de ramos em que recordamos essa atitude de Jesus nos leva a refletir sobre nossas ações, nossas prioridades, nossos desejos.

E é o próprio Deus quem nos mostra como devemos nos portar. É o próprio Senhor quem nos ensina como devemos, particularmente nessa Semana Santa que se inicia com a procissão de ramos e toda a celebração desse dia, a viver nossa vida tendo por fundamento a humildade.

O despojamento de si mesmo

Papa FranciscoReferência [10]

[...] percorrendo até o fim esta estrada, o filho de Deus assumiu a forma de servo. Com efeito, a humildade quer dizer serviço. Significa dar espaço a Deus, despojando-se de si mesmo, esvaziando-se, como diz a escritura. Este esvaziamento é a maior humilhação.

Que possamos, não somente recordar, mas seguir os passos de Jesus e viver unidos a Ele toda a humilhação, todo sofrimento e a morte que passou por amor a nós, por nossa Salvação, e que culmina na Sua Ressurreição, na Páscoa.

Pois como lembra São Josemaria Escrivá "para acompanhar Cristo na sua glória, no fim da Semana Santa, é necessário que penetremos antes no seu holocausto, e que nos sintamos uma só coisa com Ele, morto sobre o Calvário" (D. Javier Echevarría. Referência [2]).

A alegria de O acompanhar e de chegar com Ele à Casa do Pai ...

procissão de ramos: devemos estar onde o Senhor está

A comemoração da entrada do Senhor em Jerusalém faz transbordar em nós uma grande alegria. É a alegria do Salvador! A alegria da nossa Salvação!

E apesar de tanta humilhação e sofrimento que o nosso Redentor passou e que vamos recordar e viver com Ele durante toda essa Semana Santa, sabemos que esta é um boa notícia.​

E diante disso, não podemos ser pessoas tristes, um cristão não pode nunca ser triste!

Não somente neste dia com toda esta recordação, mas em todos os dias de nossa vida.

Papa FranciscoReferência [9]

A nossa alegria não nasce do fato de possuirmos muitas coisas, mas de termos encontrado uma Pessoa: Jesus. De sabermos que, com Ele, nunca estamos sozinhos, mesmo nos momentos difíceis, mesmo quando o caminho da vida é confrontado com problemas e obstáculos que parecem insuperáveis… e há tantos!

Mas nós, neste domingo, podemos acompanhar Jesus nessa procissão de ramos abrindo o nosso coração a Ele. Para que nos guie em todos os momentos pois sabemos sobretudo que Ele nos acompanha, nos carrega no colo, tantas vezes ... "aqui está a nossa alegria, a esperança que devemos levar a este nosso mundo. Levemos a todos a alegria da fé!" (Papa Francisco. Referência [9])

Papa FranciscoReferência [9]

A alegria de O acompanhar, de O sentir perto de nós, presente em nós e no nosso meio, como um amigo, como um irmão, mas também como rei, isto é, como farol luminoso da nossa vida.

E agora, se você gostou desse artigo, compartilhe e vamos juntos divulgar os ensinamentos da Santa Igreja sobre a procissão de ramos.

Um abraço pra você!​


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E CRÉDITO DE IMAGENS

[1] Cardeal Orani João Tempesta, 2016. Domingo de Ramos. Acesso em 4 de fevereiro de 2017. Disponível no site Radio Catedral.​

[2]​ D. Javier Echevarría, 2006. Do Domingo de Ramos ao Domingo de Páscoa. Meditações de D. Javier Echevarría sobre a Semana Santa. Acesso em 06 de março de 2017. Disponível no site Opus Dei.

[3] João Guimarães, s.a. Domingo de Ramos. Arautos do Evangelho. Acesso em 16 de março de 2016. Disponível no site Arautos.

[4] Missal Romano. Tradução portuguesa da 2ª edição típica para o Brasil realizada e publicada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil com acréscimos aprovados pela Sé Apostólica. 18ª reimpressão, 2014. Editora Paulus.

[5] Padre Jesus Flores, 2015. Artigo escrito por Equipe Pai Eterno. O que é feito com os ramos após a celebração ​do Domingo de Ramos? Acesso em 4 de fevereiro de 2017. Disponível no site Pai Eterno.

[6] Padre José Luís Queimado, 2015. Domingo de Ramos. Acesso em 4 de fevereiro de 2017. Disponível no site A12.​

[7] Padre Paulo Ricardo, s.a. Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor. Acesso em 15 de março de 2017. Disponível no Soundcloud do Padre Paulo Ricardo.

[8] Papa Bento XVI, 2012. Homilia | Missa de Ramos no Vaticano - Rede Aparecida. Acesso em 2 de março de 2017. Disponível no canal do Youtube TV Aparecida.​

[9] Papa Francisco, 2013. Homilia de Papa Francisco na Eucaristia de Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor. Acesso em 17 de março de 2016. Disponível no site Official Vatican Network.

[10] Papa Francisco, 2015. Homilia do Papa no Domingo de Ramos 2015 - Íntegra. Acesso em 2 de março de 2017. Disponível no canal do Youtube The Vatican - Português.​

[11] Professor Felipe Aquino, 2016. As lições do Domingo de Ramos. Acesso em 2 de fevereiro de 2017. Disponível no site Cléofas.

[12] Crédito da imagem de topo: Google Imagens.

[13] Crédito da imagem do Papa Bento XVI: Google Imagens.

[14] Crédito da imagem do Papa Francisco: Google Imagens.

[15] Crédito das demais imagens: Pixabay.

[16] Fonte das passagens bíblicas: site Bíblia Católica.